O atendimento é chato e a criação é mimada.

Basta o Job cair na pauta e começa o embate. A criação reclama do briefing. O atendimento reclama que a criação não entendeu o briefing. E quem está certo? Ninguém! Nem certo, nem errado. O que acontece é que temos perfis de profissionais muuuuuuuito diferentes nesses dois departamentos. Diferentes, não porque gostam de música, sexo ou qualquer outra coisa. É só a forma de enxergar o negócio.

O atendimento tinha uma reunião, passou 1,2,3,4,5… horas esperando pra ser recebido pelo cliente. Exagero? De maneira alguma. Isso acontece de verdade. É complicado. E enquanto isso o bagulho tá doido com o danado do celular apitando de 5 em 5 minutos indicando um e-mail de um job, de um pepino e por aí vai. Aí finalmente ele consegue ser recebido, tem a reunião e volta pra agência (quando dá tempo). Chegando lá, ele tem que fazer relatório, passar briefing e responder os e-mails do dia inteiro.

Vida de atendimento não é fácil.

Enquanto isso a criação chegou na agência, ainda sonolenta porque no dia anterior teve que ficar matando um job daqueles intermináveis e cheio de detalhes. Aí toma um café, senta na cadeira, tenta ter uma ideia, mas não sai. O tempo vai passando, o criativo se agoniando e ideia que é bom, nada! Mas muito depois a danada chegou. Aí foi um monte de títulos e referências pro DA. Beleza! Peça pronta, envio pro DC. Mas o nojento vai e consegue achar um monte de defeito. Altera tudo envia novamente e o DC, cara de pau, ainda consegue achar outras coisas que não tinha visto da outra vez. Mas beleza, tudo ajustado e vai pro atendimento. Tensão enorme pra não ter alteração (pode rezar com força, job aprovado de primeira é igual milagre, só vem de geração em geração).

Vida de criativo também não é fácil.

E como fazer?
Alguns conflitos sempre vão existir. Não existe certo nem errado, existem ângulos diferentes para observar um mesmo ponto.

Em alguns aspectos podemos contribuir um com o outro.

Briefing:

Para o atendimento: a dica é escrever como se estivesse escrevendo uma carta para um amigo (acredite os criativos amam você). Vai numa boa, escreve como fala, mas no final de tudo, dá uma olhada e se puder pede pro seu colega do lado ler e ver se entendeu. Lembre que quem vai ler aquilo, não tem a mínima ideia do que aconteceu na reunião.

Para o criativo: a dica é não se contentar com o que está escrito. Procure o atendimento (ele vai te receber com carinho) e leia o briefing com ele tirando todas as dúvidas. Que tal trocar uma ideia com ele durante o processo de criação? Poxa, os caras (ou as caras) vivem com o cliente, conhecem o negócio do cliente, então, ninguém melhor do que o atendimento pra tirar a angústia que você tem em não conhecer o cliente.

Para todos: a dica é se colocar no lugar do outro. É difícil atender cliente. É difícil achar uma ideia para o cliente. Vamos ajudar um ao outro. Garanto que não vai doer.

Sobre Masao Yogi

Masao Yogi

Diretor de Criação

Comentários